Sobre a Cegueira – parte 1

Vivi três experiências numa mesma semana, que se embaralharam e formaram uma idéia apavorante.

 

Julianne Moore guia os cegos pela terra do medo

Julianne Moore guia os cegos pela terra do medo

Primeiro fui ver o Ensaio sobre a cegueira, do Fernando Meirelles, sobre o livro do José Saramago. Bonito e angustiante do início ao fim. Saí do cinema enxergando e pensando tudo por uma lente branca leitosa de medo. Para quem conhece a obra do Neil Gaiman, autor da série Sandman, o filme parece um retrato de Desespero. Uma mulher é “rainha” na terra dos cegos. Julianne Moore é a mulher do oftalmologista. Ele é um estudioso da visão. Ela confunde radicais gregos e latinos. Mas e daí? Ela vai ser a única a enxergar sobre a face da terra dos cegos.  

Enfim… você já deve ter lido ou visto na TV algo sobre o enredo. A população mundial começa a ficar cega e ninguém sabe explicar ou conseguir a cura. A cegueira vira uma epidemia e os “infectados” vão sendo trancafiados e tratados literalmente como dejetos da civilização. Como em qualquer outra prisão, no mundo de horror dos cegos, estabelecem-se novos códigos sociais, com suas próprias leis, organização política, divisão de classes e valores morais-monetários. A mulher do oftalmologista esconde que não é cega ou finge que o é para ficar ao lado do marido. Acaba se tornando uma espécie de “anjo da guarda” dos cegos. Cuidando de todos, mas longe da “vista” deles. São muitas ironias e analogias ao comportamento coletivo da humanidade conflitante sobre suas crenças, preconceitos, transgressões, valores intelectuais. 
Assisti à entrevista do Meirelles com a Marília Gabriela. Ele contou que o Saramago chorou ao final da projeção e que confessou sentir a mesma emoção de quando terminou de escrever o romance. Eu acho que o filme/livro é sobre inícios. Uma alegoria do horror diante das rupturas e das reviravoltas de muitas coisas.
Bom… Daí…. vou cair o nível da conversa para o filme do Bruce Willis Duro de Matar 4.0. Desculpe. É que o contexto justifica eu ter jogado o blockbuster americano na mesma panela. Ocorreu que o meu pavor reacendeu com mais essa fábula premonitória da guerra entre os hackers maus e os hackers bons. E a gente se f#*endo. Mas deixa essa para o próximo post.
 
 
Mais sobre…
 


  
Recomendações Top3
      
1) Filme Ensaio sobre a Cegueira, de Fernando Meirelles. Com Julianne Moore, Mark Rufallo, Alice Braga, Danny Glover, Gael Garcia Bernal. Inspirado no livro de José Saramago.
 
2) Livro/HQ “15 Retratos de Desespero”, da coletânea Sandman: Noites Sem Fim. Autor Neil Gaiman, artistas Barron Sorey e Dave McKean.
 
3) Filme Duro de Matar 4.0. Juro que pra mim fez sentido… 
    
  
Anúncios