Terminator: Salvation

Terminator salvation

Terminator salvation

Enfim, mais um bom Exterminador. Desde a sequência em que acompanhamos John Connor dentro do helicóptero, perdendo altitude, caindo e rodopiando, percebi que ia ser um daqueles filmes que não brincam com adrenalina em serviço.

Terminator: Salvation é o quarto filme da série e traz o Christian Bale no papel do, agora adulto e enfrentando a barra pesada total do futuro, John Connor. Não sei explicar, mas gosto muuuito do Christian Bale. E acho que se saiu muito bem como o protagonista. Mesmo, eu sei, dividindo o foco da história com o tal do Sam Worthington, que faz um personagem-chave da nova história, o ambíguo Marcus Wright.

De novo, nada de James Cameron. Mas e daí? Depois do xaroposo Titanic, não faz mais falta. Se bem que esse diretor McG… sei não… O cara fez os filmes das Panteras… e produziu programas de TV como o das Pussy Cat Dolls… Estranho né? Mas, eis que em Terminator: Salvation ele não deu mole. Dá umas recaídas como o penteado e figurino da personagem Blair. Ela é a hot chick da história, vivida pela índia bonitona Moon Bloodgood (que fez Pathfinders) . E ficou meio chata aquela pieguice do final. Mas… passou raspando e o resultado geral foi bem satisfatório. Fiquei até meio triste quando acabou a sessão numa noite de domingo no cine Roxy. Podia ficar a semana toda combatendo robôs exterminadores de gente numa terra devastada.

Escapismos à parte, é um ótimo sci-fi, melhor que o T3. Faz referências boas ao T1 e T2. Tem a voz original da Sarah Connor (Linda Hamilton) nas gravações que ela deixa para o filho. Mostra o jovem Kyle Reese e até o Governator Schwarzeneger dá o ar digital da graça.

E  o cara meio humano meio exterminador, heim? Legal ele… Não me conformo. Ele bem que podia voltar, né? Com um cyberheart, quem sabe? Bom! Bom! Bom! 🙂