Rebobine, por favor

histórias em filme

blockbusters caseiros

Já trabalhei em locadora de vídeo. Era o tipo de emprego que estudantes de Comunicação Social gostam. Ou pelo menos, gostavam. Nós queríamos ver todos os clássicos e os mais renomados filmes de autor. Queríamos entender de cinema e éramos apaixonados pelo assunto. Cada um com seus diretores favoritos. Discutindo a iluminação do filme tal ou a fotografia em P&B de fulano. Entao estar atrás do balcão de uma locadora por meio período era bem conveniente.

Jack Black e Mos Def são dois malucos que trabalham numa locadora de vídeo e começam a fazer versões thrash dos filmes mais procurados, depois que Black acidentalmente desmagnetiza todo o acervo. Eles juntam algumas pessoas da comunidade para ajudá-los a recriar os filmes com zero de orçamento ou de quaisquer recursos. Desde Conduzindo Miss Daisy a Robocop, as versões caseiras viram um sucesso e os locatários querem mais e mais.

Enquanto isso, Danni Glover, dono da locadora, que não sabe o que está acontecendo, sai em busca de um formato novo para a locadora e estuda o mercado dominado pelas redes do tipo Blockbuster. O irônico é que os malucos acabaram inventando uma fórmula de sucesso, que atrai filas de gente. Mesmo num mundo preocupado com as questões de direitos intelectuais versus pirataria, torretns etc., e descontando o jeito pastelão do filme, é curioso pensar que as ondas de sucesso da produção de entretenimento popular podem surgir quando e onde menos se espera.