Patti and her kids


Antes de ir embora, contei que havia feito uma musiquinha para ela, e cantei.

I was working real hard

To show the world what I could do

Oh I guess I never dreamed

I’d have to

World spins some photographs

How I love to laugh when the crowd laughs

While love slips through

A theather that is full

But oh baby

When the crowd goes home

And I turn in and I realize I’m alone

I can’t believe

I had to scrifice you

Ela disse: “Essa sou eu, cara. É a minha música”. Quando eu estava saindo, olhou-se no espelo, ajeitando os boás. “Como estou, cara?”

“Parece uma pérola”, respondi. “Uma pérola de menina.”

Janis Joplin

Janis Joplin

Entrei no quarto. Em uma cama simples de ferro, havia um menino dormindo. Ele era pálido e magro com massas de cachos castanhos, deitado sem camisa com um colar de miçangas no pescoço. Fiquei ali parada. Ele abriu os olhos e sorriu.

Robert Mapplethorpe

Robert Mapplethorpe

O Chelsea parecia uma casa de bonecas de Além da imaginação, com uma centena de quartos, sendo cada um deles um pequeno universo. Eu vagava pelos corredores tentando encontrar seus espíritos, mortos ou vivos. Minhas aventuras eram algo sorrateiras, como entrabrir uma porta e ver de relance o piano de cauda de Virgil Thomson, ou ficar parada diante da porta de Arthur C. Clarke, torcendo para que ele talvez surgisse de repente.

Hotel Chelsea

Hotel Chelsea

 

— Patti Smith: Só Garotos

 

Vida de Artista

Vida de Artista

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s