Elementar, meu caro Downey


Holmes will kick you ass

Charles Watson e Sherlock Holmes bem menos convencionais

Redondo!

Categoria filme redondo!

Receita do filme redondo: bom roteiro, Robert Downey Jr., Jude Law, trilha sonora, fotografia e edição muito espertas.

Me diverti do início ao fim. Acho que foi o segundo filme que vi do Guy Ritchie. O outro foi Snatch. Desconfiei um pouco de uma versão  mudernosa de Sherlock Holmes, mas não aconteceu nada que eu temia. Uma bobeira ou outra aqui e ali, mas no final das contas o filme é duca! E o Robert Downey Jr. nasceu para fazer as audiências felizes 🙂 🙂 🙂 É um luxo.

Provavelmente os diálogos inteligentes  e rápidos deixam muita gente tipo comendo poeira de neurônio perdido. Isso é irônico… Não faltam ação e  uma boa história, mas falta esperteza de quem assiste…

Ouvi uma fã dos livros do Sir Arthur Conan Doyle se queixar do filme pois ficou chocada com a visão abusada do Guy Ritchie sobre o Sherlock Holmes. Do personagem, nunca li os romances (ou contos, sei lá). Só li uma história em quadrinho em inglês chamada The Dancing Men. Mas nem lembro direito. Era parte da literatura didática da  Cultura Inglesa (quando o curso era muito bom, exigente e verdadeiramente tão britânico quanto Sherlock, e todos os funcionários, não só os professores, falavam somente em inglês com os alunos, inclusive o ascensorista, mas isso foi lá nos anos 19** e não vem ao caso…).

Watson e Holmes pouco convencionais

Mas o bigodão do Watson e o cachimbo e violino do Holmes seguem firmes e fortes

Realmente tenho uma imagem consistente do Sherlock Holmes com cachimbo, algumas manias e um quê de misoginia. E o Watson definitivamente sempre me foi gordoto, bigodudo e bobo. O novo filme deve mesmo deixar os fãs mais conservadores um tanto ressentidos. Por outro lado, pode-se ganhar com um enfoque totalmente divertido, que aproveita elementos autênticos do personagem injetando um pouco mais de adrenalina. Tem um barato faroeste-rock’n’roll em “Rosencrantz e Guildenstern Estão Mortos”, do Tom Stoppard, que não ofende shakespeareanos convictos. Assim como o Mercucio traveco do “Romeu+Julieta”, do Baz Lurman, é totalmente coerente com a subversão alucinada do personagem.

Sherlock Holmes will kick your ass

Sherlock Holmes will kick your ass

Enfim, o Holmes do Downey luta box e chuta traseiros como em nenhum outro filme sobre o detetive inglês. O fato de ele ser meio porcalhão também deve incomodar. Mas a característica mais simbólica e marcante do personagem, que o tornou folclórico, é a capacidade infalível de dedução pela obervação atenta aos detalhes. Isso é muito bem explorado no filme. E além disso, me desculpe, mas o Robert Downey Jr. é que nem aquele lema do Cartoon Network, “a gente faz o que quer”. Ele pode. Ele faz. Tá tudo certo.

4 pensamentos sobre “Elementar, meu caro Downey

  1. Você não teve um déjà vu na luta de boxe do Sherlock? Falta de imaginação do Ritchie, só faltou escalar o Pitt como adversário. “Sherlock: Pigs and Diamonds”.

    • é que não me lembro direito do snatch. só guardo a idéia da velocidade da narrativa e das situações completamente inesperadas, tipo a caixa de iogurte que mata o motorista que vinha atrás. mas esses cineastas são muito auto-referentes. repetem planos dos próprios filmes, homenageiam a si mesmos. coisa de louco.

  2. Quando acabou, eu bem queria ver de novo. Até pra curtir as tais ótimas piadas, mas que o ritmo alucinante não deixava a gente curtir direito. Como diria Mestre Yoda: Mentes brilhantes o cinema hoje precisa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s